Recife enfrenta paralisação dos ônibus

Desde zero hora dessa sexta, dia 20, teve início uma paralisação de motoristas, cobradores, fiscais de linha e mecânicos dos coletivos por 24 horas pegando a população de surpresa. A decisão da paralisação foi tomada após uma negociação sem sucesso entre o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Setrans) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários Urbanos de Passageiros do Recife e Regiões Metropolitana, da Mata Sul e Norte de Pernambuco (STTREPE), realizada na tarde desta quinta-feira (19), na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Pernambuco. Por um lado, trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 12,8%, entretanto os donos de empresas irredutíveis ofereceram apenas 4%, divididos em duas vezes.

Quem paga caro com isso é a população, já penalizada por depender de um sistema de transporte ineficiente, veículos lotados, insuficientes para a demanda e vias sobrecarregadas que provocam engarrafamentos. Numa situação de confronto entre trabalhadores e patrões, sobra também para os usuários que ficam nas paradas procurando meios de chegar ao trabalho, mesmo submetidos ao transporte alternativo com valores elevados ou táxi. Quando conseguem um meio, não sabem como vão voltar. Os poucos ônibus que passam estão superlotados ou sofrem risco de depredação por parte dos grevistas. Aqueles que tentavam voltar para casa na madrugada de ontem já experimentaram o pesadelo de não ter como voltar, enfrentando tumultos nos principais terminais, além do risco de ficarem expostos a criminalidade.

Apesar das empresas colocarem ônibus extras nas ruas para suprir as linhas sem atendimento, em alguns casos como Rio Doce e Maranguape atendidos pela empresa Cidade Alta, a paralisação é total. Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores, 90% da frota de ônibus do Grande Recife aderiram à greve causando transtorno para 1,7 milhão de usuários. Por ser um serviço essencial, as empresas de ônibus nem deveriam deixar que a situação chegasse ao ponto de greve. Eles deveriam buscar soluções e alternativas para atender as demandas dos trabalhadores. Mas os empresários parecem querer jogar a população contra os motoristas e cobradores e ainda justificar futuros aumentos nas passagens.

A paralisação de hoje será por apenas 24 horas, mas uma nova rodada de negociações na próxima quarta, 25, poderá levar a uma greve mais séria por tempo indeterminado. Seja com greve ou aumento de tarifas dos ônibus, quem paga a conta é sempre a população. Ainda bem que energia elétrica não entra em greve. Isso me lembra um frevo…

Parei, Recife!!!
Sem reajuste, vou ficar paralisado.
O pior é deixar novamente esse povo esperando
Pegando Kombi e Táxi pra chegar no trabalho…

Leia mais sobre a crise dos ônibus no Recife:

Acabou a greve de ônibus no Recife – 27.06

Paralisação dos ônibus pode terminar ainda hoje – 27.06

Sem acordo, motoristas de ônibus entram em greve no Recife – 26.06

Recifense assustado com risco de greve de ônibus – 25.06

Anúncios

2 Respostas para “Recife enfrenta paralisação dos ônibus

  1. essa matéria sobre a paralisação dos motoristas vem nos avisar sobre a bola de neve que se estende há anos. O abelhudo Ronilson Araújo, focou bem, salientando esse problema da população pernambucana.

  2. Pingback: Acabou a greve de ônibus no Recife « Maracutaia Livros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s